Pesquisar

11 de set de 2013

Resenha: O Livro Das Coisas Perdidas - John Connolly

Título: O Livro Das Coisas Perdidas
Autor: John Connolly
Editora:Bertrand Brasil 
Páginas:363
Comprar: Preços
Avaliação: 5/5+




Resenha: 'Ai Meu Deus!' eu pensei, 'como vou começar esta resenha?'. Afinal, quando um livro é ótimo, é difícil falar sobre ele. Então vou começar pela parte simples: a capa! Quem a vê assim colorida, forte e atraente, logo pensa se tratar de uma história infantil e bobinha, com algum pequena lição de moral no final: um prato cheio para qualquer um, certo? Bom, o livro não tem muita coisa infantil não, na verdade, é ele é bem sombrio. É um livro que engana.

Com um começo muito interessante, Jonh nos apresenta a uma realidade *triste: a morte. Nas primeiras páginas descobrimos que David, nosso protagonista) está perdendo sua mãe; segundo ele para a 'doença que a come por dentro'. Dessa forma, com a perda de sua mãe logo no início do livro, já podemos perceber que David, que há pouco era apenas uma criança com suas manias, começa a crescer e descobrir que o mundo é cruel para alguns. E a partir desta perda as coisas estranhas começam a acontece: livros que sussurram histórias para David, uma voz familiar o chamando.. Coisas obscuras que levam nosso protagonista para outro lugar, literalmente.. E então, dois mundo se fundem. 

David agora está sozinho em outro mundo, atrás da voz que o guiou até aquele lugar traiçoeiro. Tudo se torna muito difícil e perigoso.

Em 'O Livro Das Coisas Perdidas' podemos ter uma noção de como o medo nos afeta, e molda algumas de nossas ações. Durante todo o desenvolvimento da história (que é voltada à David) conhecemos seu lado mais frágil e sensível, lado que no fim, acabamos identificando como os nossos próprios medos e dúvidas. Foi assim comigo! Mas não pense que o livro contém algo do tipo 'questionaremos agora de onde viemos e para onde vamos', jamais. Ele nos mostra sutilmente alguns pontos, que podem ou não ser discutido, dependendo  apenas de quem o lê. Achei sensacional, pois o autor ao mesmo tempo que estrutura a busca de David, nos coloca em seu lugar. 

Além do fato de ser um livro profundo, John Connolly também faz algo muito interessante: recria contos famosos. Ao longo do enredo David encontra-se com vários personagens famosos, como por exemplo a Bela Adormecida, mas não da forma como conhecemos, e sim de um jeito novo e realmente deprimente. É admirável a forma como autor lida com a inocência das coisas. Cria também contos independentes ao enredo. Contos ótimos! 
Tenho que comentar também as passagens macabras do livro, fiquei surpreso com a imaginação do autor, e agora tenho ainda maios certeza de que este não é um livro para crianças, definitivamente. 

O desenvolvimento da história como vocês devem imaginar é uma coisa espetacular, juntando todos esses elementos citados, mais a criatividade do autor e ainda o enredo em si, cria-se uma combinação perfeita! Os personagens são bem construídos, apesar de serem poucos, mas são de suma importância para a história, além de uma nova 'mitologia' criada no universo novo de David. David que por sua vez, tem um grande amadurecimento durante o livro. 'O Livro das Coisas Perdidas' é muito marcante, que entrou para a minha lista de preferidos. 

O final deste livro é 'o melhor final de livro que já li na minha vida', pois é diferente de tudo o que já vi, é um final acolhedor e modesto que mostra que mesmo em nossos momentos de maior medo podemos encontrar a *felicidade e compreensão. Só lendo para descobrir o quão sensacional é. Eu definitivamente amo esse livro! 

E por fim gostaria de falar sobre a qualidade do livro. 'Nossa!' eu pensei, 'O que é isso?!'. O livro tem a diagramação mais bonita que já vi até hoje, com suas páginas grossas e amarelas e tintura escura, dão ao a ele um toque 'medieval', além de tornar a leitura mais agradável, e também a capa e dos inícios de capítulos, que são brilhantes! Então, assim que você tiver a oportunidade de ler 'O Livro Das Coisas Perdias' o faça, e terá uma ótima surpresa! 'Mas cuidado, sua imaginação pode criar muitas coisas'. rs

Alguns trechos: 

"A Doença que a estava matando era uma coisa nojenta e covarde, uma doença que a vinha devorando por dentro, consumindo sua luz interior..." 
"Coisa estranha: David  se lembra de ter sentido quase um alívio, logo que a mãe morreu." 
 "-Todo mundo já ouviu falar dela: Oooh, Branca de Neve que vive com os anões e transforma  suas vidas num inferno. Nem matá-la direito conseguiram... ah, claro, todo mundo conhece a história da Branca de Neve. -Como é que é? Matá-la? - Perguntou David.- A Maçã envenenada - revelou o anão. - O plano não saiu muito bem. Erramos na dosagem; pra baixo. 
"E na escuridão, David fechou os olhos e tudo o que estivera perdido foi descoberto novamente"

Imagens:  




2 comentários:

  1. Olá, Luis Fernando!

    De início devo dizer que simplesmente adorei o trabalho gráfico, a capa, aberturas de capítulos...

    O enredo aparenta ser daqueles que envolve e prende o leitor!! Já vai para a lista dos desejados =P

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o trabalho gráfico, o livro então.. perfeito! Uma das melhores leituras de 2013! E sim, prende bastaaante.. :)

      Excluir

Ei blogueiro - não deixe spam por aqui, o mundo agradece!

Ei leitor - escreva o que quiser, munido de respeito e coerência, porém.